Por que imóveis continuam sendo um ótimo investimento?

Especialista dá dicas de como fazer seu dinheiro render mais a partir da compra de um imóvel

Autor: Carolina LaraFonte: A Autora

Em 2021 foi registrada uma elevação de 12,5% nos preços praticados em imóveis (19,3% em São Paulo), de acordo com o indicador IGMI-R (Índice Geral de Preços do Mercado Imobiliário Residencial) da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Quando o ganho é aplicado sobre o valor patrimonial, a valorização é estimada em até R$ 1,5 trilhão. Dados como esses mostram uma parte das razões para investir em imóveis no Brasil. Para Fabiane Guiraud de Souza, diretora comercial da Clarim Imóveis e graduada em Direito com especialização em gestão de negócios, as vantagens são muitas e o cliente só tem a ganhar.

Segundo a diretora, “temos visto o quanto os imóveis têm se valorizado. Nos dois últimos anos, essa valorização tem sido algo bastante relevante. Se tomarmos a maioria das taxas, é muito difícil que alguma aplicação financeira esteja pagando o que o imóvel vem valorizando. Inclusive, o proprietário do apartamento ou casa tem ainda a rentabilidade do mesmo com a locação, por exemplo. Aqui em Campo Largo (PR), é uma realidade a falta de imóvel para locação, é algo gritante, uma oferta baixíssima e uma demanda bem grande. Um novo centro comercial deve ser inaugurado em novembro, com previsão de gerar 6 mil empregos, o que deve provocar a chegada de muita gente de fora para trabalhar no shopping e não tem moradia para atender essas pessoas. Além disso, tem o hospital, que é o maior em número de leitos de UTI da América Latina. Então, são dois pontos focais que vão demandar muito imóvel para locação e não vai ter o suficiente”.

Em resumo, além da valorização natural do imóvel que já vem acontecendo com força no mercado, existe o valor da possível locação, que também tem aumentado de maneira substancial pela falta de oferta com alta demanda de consumo. A grande dica é que não é preciso ter o dinheiro em mãos para investir. Financiar um imóvel é uma boa pedida, considerando que o aluguel que se recebe ao longo do tempo ajuda a pagar esse parcelamento. Fabiane exemplifica que, há dois anos, vendia um apartamento simples de dois dormitórios por R$ 160 mil, mas, hoje, esse mesmo espaço custa R$ 204 mil.

Sobre a melhor opção para compra, ela conta que imóveis na planta tendem a render mais, já que começa pela valorização do próprio empreendimento em si até a sua entrega final. Por outro lado, o cliente pode perder esse tempo de aluguel, já que o apartamento vai estar em construção. “Então, é preciso fazer a conta para ver o que fecha melhor para quem está investindo, porque às vezes o dinheiro está aplicado e não vale a pena comprar na planta para daqui a dois anos começar a rentabilizar. Então, de repente vale mais a pena comprar o imóvel já pronto — tira da aplicação, deixa de render lá, mas já começa a rentabilizar no aluguel. Quando falamos de investimento, eu vejo que tudo é válido, depende da condição da pessoa para investir no imóvel; se já tem o recurso à vista, se o dinheiro está aplicado e as condições dessa aplicação. É uma linha muito tênue e é isso que eu bato muito aqui com meus corretores. É importantíssimo que nós sejamos consultores. Então, essa questão econômica, de entender de aplicação, de juros, juros compostos, de CDI… Isso é importantíssimo para ajudar o cliente”, completa.

Outra dica é investir em terrenos em torno de capitais. No entanto, é preciso prestar atenção a esse tópico, já que não é qualquer região que será um bom negócio. É necessário observar para que lado a capital está crescendo e como esse crescimento se dá, se está organizado, sustentável e estruturado. Observar o movimento da cidade faz toda a diferença na hora de investir em torno dela.

No fim das contas, o melhor investimento é comprar um imóvel e alugar em seguida. Mas existe também uma nova tendência de mercado, o retrofit, que consiste em comprar apartamentos mais antigos para reformá-los e colocá-los à venda novamente. “Quem quer fazer esse movimento rápido, que não quer colocar para alugar, mas sim para girar, e que tem equipe, vontade e disponibilidade para realizar essa obra rapidamente, tem muita oportunidade no mercado nesse sentido também. Mas é importantíssimo ter um corretor auxiliando nesses momentos”, finaliza.

Fabiane Guiraud de Souza

Diretora comercial da Clarim Imóveis, graduada em Direito com especialização em gestão de negócios, atuando no mercado imobiliário desde 2000 com venda e locação de imóveis residenciais e comerciais. Linkedin: https://www.linkedin.com/in/fabiane-guiraud-de-souza-83175855/

Sobre a Clarim Imóveis

Desde 1991, a Clarim presta serviços de vendas, locação e administração de imóveis residenciais e comerciais. Somos referência em Campo Largo por entender as necessidades dos clientes, oferecendo as melhores opções. A Clarim é responsável pelo desenvolvimento de grandes empresas que hoje atuam no mercado e empregam boa parte da população campo-larguense. Oferecem um atendimento personalizado em venda e locação, visando sempre a melhor experiência e suprir as necessidades dos clientes.

Links Úteis